O licenciamento de veículos leves cresceu 7,6% nos primeiros 10 meses do ano em comparação com o mesmo período do ano passado, informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram 2,18 milhões de unidades vendidas de janeiro a outubro.

Desse total, foram comercializados 1,85 milhão de automóveis, aumento de 7,5% no período, e 331 mil comerciais leves, crescimento de 7,9%.

“Todos os números deste mês estão de acordo com nossa projeção para o fechamento do ano. Os resultados indicam o terceiro ano de recuperação do setor automotivo como um todo, mesmo com a queda nas exportações”, afirmou o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

Produção

Para o setor de veículos, o resultado mensal de 288,5 mil unidades apontou para a alta de 16,6% na comparação com setembro, e de 9,6% em relação a outubro do ano passado. Foi o melhor mês de produção neste ano e recorde desde agosto de 2018.

O acumulado do ano, de 2,55 milhões de unidades, representa alta de 3,6% sobre o mesmo período do ano passado.

Apenas entre veículos leves, a produção cresceu 3,4%. Foram produzidos 2,11 milhões de automóveis, acréscimo de 3,8% sobre os 10 primeiros meses de 2018, e 312 mil comerciais leves, ligeira subida de 0,8% no mesmo período.

Além de divulgar o balanço mensal, Luiz Carlos Moraes recordou o primeiro ano de vigência do Rota 2030, regime automotivo brasileiro que teve seu decreto assinado em 8 de novembro de 2018 pelo então presidente Michel Temer.

“Após meses de intensas negociações, o Rota 2030 surgiu como uma conquista para todo a cadeia automotiva, um modelo de organização e previsibilidade que serve de modelo para outros setores industriais e até para outros países”.

Nesse primeiro ano, todos os fabricantes já estão adequando seus produtos para níveis de emissões mais rigorosos que entrarão em vigor nos próximos anos, e também para atender ao cronograma de itens de segurança obrigatórios que já terá início em 2020.

Além disso, segundo a Anfavea, as duas frentes de incentivo a pesquisa e desenvolvimento do Rota 2030 estão recebendo várias adesões.